menu fechar menu

PEÇA DO MÊS

6 de OUTUBRO DE 2020

SÃO BRUNO

São Bruno

A escultura do patriarca dos cartuxos, em altar próprio coroado pelo emblema cartusiano (sete estrelas simbolizam São Bruno e os outros seis frades fundadores), oferece a quem visita a igreja de São Francisco o exemplo de um tipo de espiritualidade própria, transposta de um profundo silêncio contemplativo de estrita e absoluta comunhão com Deus. Data do século XVII, decorrente dos efeitos tardios da canonização em 1623, quando o papa Gregório XV estende o seu culto a toda a Igreja.
O dia 6 de Outubro ficará para sempre assinalado pela morte de São Bruno, no longínquo ano de 1101. Fundou uma nova ordem religiosa, os cartuxos, que chegaram a Évora em 1587 pela mão do Arcebispo D. Teotónio de Bragança. Ficaram alojados no mosteiro de São Francisco até 1598, quando estavam já criadas as condições de se instalarem no primeiro convento da Ordem em Portugal, Santa Maria Scala Coeli, onde se foram sepultar vivos.
O poder visual desta metáfora é revelador das condições de vida escolhidas por estes dinamizadores do movimento monástico. Traduz a imensa austeridade/isolamento a que se entregavam, orientando as suas vidas para uma existência consagrada a Deus, puramente contemplativa e de recolhimento.
De acordo com os Estatutos da Ordem Cartusiana (Cap. 3.2): Aquele que persevera firme na cela e por ela é formado, tende a que todo o conjunto de sua vida se unifique e converta numa constante oração. (…) Purificado pela paciência, consolado e robustecido pela assídua meditação das Escrituras, e introduzido no profundo de seu coração pela graça do Espírito, poderá já não só servir a Deus, senão também unir-se a Ele.
Separados de todos, estamos unidos a todos já que é em nome de todos que nos mantemos na presença do Deus vivo.
 (Cap. 34.2).

Susana Nogueira, 2020